HORA MUNDIAL (Clique sobre o local desejado para visualizar)

sábado, 6 de novembro de 2010

Cuidados (desodorante X antitranspirante X câncer)

Por todo o nosso corpo nós suamos. O suor tem uma função homeotérmi-
ca (de manter a temperatura do corpo), mas tem função de desintoxica-
ção também.

Em algumas partes do corpo, devido ao contato permanente da pele, o
suor tende a acumular. Com isso o cheiro no local fica desagradável.

O principal local onde isso acontece são as axilas. Ali o acúmulo do
suor vai causando um odor desagradável.

A maioria dos desodorantes ataca o mecanismo natural do corpo, evi-
tando a transpiração, principalmente por meio de sais de alumínio,
que impedem a transpiração total e, portanto, não há mau cheiro.

Nesse caso há dois problemas sendo criados:

1 - O suor não é eliminado e as substâncias que deveriam ser elimi-
nadas com ele começam a ficar presas nos tecidos em volta da axila,
inclusive as mamas.

2 - O próprio sal de alumínio que impede a transpiração começa a ser
assimilado pela pele e se acumular nos tecidos, junto com as toxinas
que não são eliminadas.

Quando o primeiro desodorante anti-transpirante foi criado, ninguém
sabia dos efeitos maléficos do alumínio nos tecidos do corpo humano.

Atualmente se sabe que a intoxicação dos tecidos pelo alumínio causa
diversos problemas à saúde, como câncer de mama e a diminuição gradu-
al da capacidade erétil do homem (redução da potência sexual masculi-
na).



Porque as axilas cheiram mal?

Nas axilas há dois tipos de glândulas que produzem o suor, as écrinas (que produzem um suor molhadinho, aquoso e sem cheiro) e as apócrinas (que produzem um suor mais leitoso e que gera o mau odor ao se acumular e sob a ação das bactérias da pele).

Como os braços ficam abaixados a maior parte do tempo, a pele das axilas fica encostada, gerando uma temperatura mais alta do que o resto do corpo e fazendo com o suor na região sejá muito maior do que em outras partes mais arejadas do corpo.

O suor apócrino vai se acumulando e acaba gerando o famoso “cecê”.

Como os desodorantes atuam:

Os desodorantes funcionam atuando em três processos:
1 – “Escondendo” o mau cheiro – Como um “Bom Ar” disfarça o mau cheiro.
2 – Matando as Bactérias – Reduzindo ou Eliminando as bactérias da flora axilar.
3 – Reduzindo a Transpiração Total (antitranspirantes)– Através de substâncias anti-transpirantes (a base de sais de alumínio).

Seria um sistema perfeito, se não tivessem descoberto que essa redução da transpiração causa alguns problemas acumulativos no organismo do ser humano.

O primeiro problema é bem óbvio, se o suor deveria sair e não sai, pra onde estão indo as substâncias que seriam eliminadas do organismo através do suor.

A sudorese é um dos processos mais importantes de limpeza do corpo humano.

O segundo problema é que, além de impedir a desintoxicação, os sais de alumínio, ao serem absorvidos no contato com a pele, vão se acumulando no organismo e vão parar na corrente sanguínea.

Acontece que descobriram que o alumínio é cancerígeno e foi estabelecida significante relação estatística entre o uso de desodorantes anti-transpirantes e o aumento no número de casos de câncer de mama.

E qual a solução?


Existem desodorantes naturais que não possuem sais alumínio em sua formulação. Esses desodorantes disfarçam bem o odor e têm um ativo bactericida (geralmente triclosan) que é bem eficiente . Só que eles não alteram o fluxo de suor.
E porque acontece a ardência, irritação e mau cheiro no início ao trocar para desodorante?
Alguns organismos quando ficam livres dos sais de alumínio que os impediam de suar normalmente, entram num processo temporário sudorese excessiva.
Se houver muito suor apócrino (aquele suor leitoso) ele tende a reagir com as bactérias da pele e com os próprios componentes do desodorante e isso pode causar desde coceiras, ardência, irritação até mau cheiro.
Mas isso é temporário até que organismo se equilibre em uma nova condição.
Existe alguma outra possível causa?
Sim. Quando o desodorante natural contém alguma substãncia que estimula uma limpeza no organismo, ele pode provocar um processo de desintoxicação na pele da axila e forçar a saída das toxinas acumuladas por anos de uso de desodorantes com anti-transpirantes a base de sais de alumínio.
Nesse caso essas toxinas é que vão sofrer ação das bactérias da pele e reagir com os componentes do desodorante. Com o tempo o organismo vai eliminar as toxinas acumuladas e a flora da axila vai se adaptar às novas condições.
E se a ardência e o mau cheiro forem MUITO fortes?
Em caso de ardência é melhor que se pare de usar o desodorante natural por duas semanas, substituindo por um bom pós-barba sem álcool na composição e que tenha forte efeito cicatrizante.
Em caso de mau cheiro e escurecimento da pele, é melhor que substitua o desodorante natural por um gel com forte poder cicatrizante, de preferência à base de babosa, durante 10 dias.
Para Saber Mais:
http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1877107-EI8147,00.html

http://www.uniamerica.br/visaoacademica/o_antitranspirante_pode_ser_a_principal_causa_de_cancer_de_mama/

Um comentário:

  1. Gostaria de saber o nome de algum desodorante natural desse que foi mencionado, pois pretendo abandonar meu uso de antitranspirante com urgência.

    ResponderExcluir